Plin - Psicologia Infantojuvenil. Site especializado em conteúdo psicológico para crianças e adolescentes

Volta às aulas: dicas para ajudar os adolescentes

Volta às aulas: dicas para ajudar os adolescentes
por Etiene Macedo

As férias estão chegando ao fim e a volta às aulas provoca mudanças em toda a família. Crianças e adolescentes precisam de um tempo para retomar a rotina, mas para os adolescentes essa adaptação demanda um tempinho maior e mais paciência dos pais.

Acordar cedo, reduzir o tempo de lazer e atividades livres, voltar às atividades paralelas que consomem o período do contraturno escolar pode gerar ansiedade e conflitos dentro de casa.

Mesmo entre aqueles que estão motivados para o início das aulas, é preciso paciência e diálogo para ajudar na adaptação. Bate aquele friozinho na barriga e eles fazem muitas perguntas: quem eu vou encontrar lá? Será que meus amigos serão os mesmos? Os professores serão legais? E a série nova que vou fazer? Será difícil?

É importante observar como eles reagem a essas mudanças e ajudar a lidar com a ansiedade. Situações que envolvem mudança de escola ou circunstâncias em que eles não participaram das escolhas que causaram mudanças podem ser ainda mais ansiogênicas.

Algumas medidas simples podem ajudar nessa adaptação:

1 – Escute. Demonstre interessa, esteja disponível para ouvir as expectativas e perguntas sobre o que provavelmente ele encontrará na nova escola ou turma. Desenvolver uma escuta empática estimula a autoconfiança do adolescente em relação às novidades que ele vai vivenciar.

2 – Na medida do possível, responda às suas indagações para ajudar a diminuir fantasias e preocupações sobre a nova rotina. Uma boa opção é compartilhar como foram as experiências da época em que você estudava.

3 – Permita um período de adaptação antes de definir a rotina de tarefas e estudo. Estimule a participação do adolescente no planejamento dessa rotina. Por exemplo: reduzir o tempo de uso do celular, games, TV e atividades que concorrem com o tempo das tarefas e estudo. Essa redução pode ser gradativa, iniciando nos últimos dias de férias até a primeira semana de aulas.

4 – Estabeleça horários para o sono. Se o adolescente tem dificuldade para dormir mais cedo após o longo período das férias, ofereça atividades que ajudem a regular novamente a rotina do sono. As técnicas de higiene do sono podem ajudar muito: evitar assistir TV ou manusear eletrônicos antes de dormir, tomar um banho morno, evitar alimentos estimulantes à noite (refrigerantes, chocolate).

5 – Se perceber dificuldades de adaptação do adolescente à escola, procure a equipe pedagógica para vocês criarem juntos pequenas ações que possam facilitar essa interação. O acompanhamento dos pais em relação ao que acontece no cotidiano escolar dos adolescentes ainda é necessário. Não precisa controlar a rotina diariamente, mas conhecer o funcionamento da escola e como são as estratégias de apoio ao adolescente é muito importante.

Com carinho,

Etiene

Etiene Macedo Psicóloga com mestrado em Psicologia Clínica, doutorado em andamento em Psicologia Clínica (Unb). Especialista em Terapia de Casais e Famílias (PUCGO). Sócia e colunista do Plin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *