Plin - Psicologia Infantojuvenil. Site especializado em conteúdo psicológico para crianças e adolescentes

5 dicas para ajudar seu filho a lidar com o divórcio

5 dicas para ajudar seu filho a lidar com o divórcio
por Flávia Lacerda

O divórcio é um momento delicado para toda a família.  Mas juntos, e com muito amor, podemos criar estratégias para diminuir o impacto dessa mudança para as crianças e adolescentes.

♥ Sabe aquele aviso de segurança que ouvimos sempre antes do voo?! Acho que é mais ou menos assim:  Em caso de despressurização as máscaras de oxigênio cairão automaticamente. Puxe a máscara mais próxima de você e coloque-a sobre o nariz e a boca. Se estiver com crianças e idosos coloque primeiro em você e depois auxilie a pessoa que está ao seu lado. Então, em momentos de turbulências e mudanças na família, também precisamos colocar a “máscara de oxigênio” primeiro em nós para depois colocarmos em nossos filhos. Isso significa cuidar da sua saúde física e mental. Assim você conseguirá ajudar de maneira mais efetiva o seu maior tesouro: seu filhote!

♥ Converse com o seu filho sobre a separação. Tome cuidado para não compartilhar aspectos íntimos da vida do ex-casal e também não denigra a imagem do outro pai ou mãe. Lembre-se que os filhos geralmente se identificam com os ambos os pais. Se um deles é visto como muito mau, ele provavelmente também se verá como mau.

♥ No primeiro momento, tente manter alguns elementos constantes da rotina diária do seu filho, como por exemplo, contato com alguns amigosatividades extra-curriculares e escola. A regularidade e constância ajudam na segurança que seu filho irá sentir.

♥ Para os pequenos é necessário explicar com mais detalhes sobre como será a sua rotina diária, como por exemplo, falar quem irá buscá-lo na escola, em qual casa ele irá dormir. Sabemos que a orientação temporal (noções de tempo longo, curto, dias e horas) é desenvolvida gradativamente nas crianças e por esse motivo é importante sinalizar para o seu filho aspectos mais detalhados da sua rotina.

♥ Avise as pessoas mais próximas das crianças sobre o momento que toda família está passando, isso inclui professores e demais cuidadores. Essa é uma forma de acionar uma rede de proteção às crianças. Outras pessoas do convívio diário das crianças podem oferecer suporte e carinho, além de identificar possíveis sinais de sofrimento do seu filho.

 

Um abraço com carinho,

 

Flávia

Flávia Lacerda Psicóloga. Mestre em Psicologia (UnB). Facilitadora do Programa Friends for Life - Pathways Health and Research Center. Pós-graduanda Terapia de Casais e Famílias (PUCGO). Sócia e colunista do Plin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *